quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Eu só quero voltar pra casa

Eu deveria estar escrevendo um texto sobre algum tipo de energia limpa, mas eu não consigo me concentrar.

Passei o dia arrumando minhas coisas porque eu vou mudar de casa aqui. Eu não queria, porque adoro morar sozinha – já que é pra ficar longe da minha casa de verdade, que ao menos eu tenha liberdade - fazer a minha bagunça, mas enfim, como eu não decido sobre a minha vida por aqui, serei obrigada a me mudar. Dividir banheiro com estranho, ainda mais quando o estranho é uma pessoa de 50 anos, com a qual eu não vou muito com a cara, vai ser foda.

O que me dá ânimo é que isso vai ser só até a segunda quinzena de outubro no máximo. Quem me segue lá no twitter sabe que eu me dei de prazo até outubro para ir embora. Eu não suporto mais nem olhar para a cordilheira, e olha que ela é linda. Não suporto mais ter que ficar falando espanhol o tempo todo, não ter com quem dividir essas coisas, não sair de casa, não ter vida social além do trabalho, só falar com as pessoas do trabalho, ou com as esposas dos amigos do trabalho.

Eu vou embora, com emprego ou sem emprego em São Paulo. Hoje, enquanto arrumava o monte de coisa que eu tenho aqui, fiquei pensando: pra quê tanta coisa se eu só saio para ir trabalhar aqui. Preciso só de duas calças e algumas blusas, mais nada. Fiquei olhando o quanto de sapato eu trouxe pra cá, e eu nunca uso, minhas bolsas que estão no armário há meses, algumas ainda com etiqueta e pensando: pra quê tudo isso?

Eu não me arrumo mais. E mesmo sendo gorda como eu estou agora, e nos últimos anos, eu sempre me arrumei. Nunca saí de casa sem um colar, sem passar rímel. Nunca fiquei tanto tempo sem fazer as unhas, sem tingir meu cabelo. Aliás, eu tenho ficado dias sem lavar o cabelo, por que ele vai ficar preso mesmo, então não faz diferença. E eu não sou assim. E eu não quero continuar assim...

A raiva que eu sinto de estar aqui, obrigada pelo meu medo de ficar sem trabalho, de decepcionar as pessoas que acreditaram em mim, pela minha vergonha de dizer que não funcionou, está cada dia maior. Raiva mesmo, eu tive um ataque de raiva no trabalho na terça-feira, chorei um monte, de raiva. Raiva das pessoas, da situação, de mim mesma. De mim mesma por eu ser tão covarde e não falar claramente que eu quero ir embora, que nada mais me interessa aqui. Nem neve, nem deserto, nem glaciares, nem lagos. Quando eu tiver dinheiro eu venho aqui ver. Mas eu não posso mais continuar aqui. Não infeliz como estou agora.

Eu não sei como vai ser meu aniversário daqui a oito dias. O que para mim já não é um dia muito feliz, provavelmente, será mais chato ainda. Porque eu sei que não faço parte da vida de quase ninguém que está em São Paulo. E não faço parte da vida de ninguém que está aqui.

Cada dia que passa eu fico mais triste. Eu já não consigo não chorar todos os dias e pensar que eu estou abrindo mão de ver meu pai enquanto ele ainda respira, de brigar com a minha mãe, de rir com as minhas irmãs, de ir a almoços de família, de ver meus avós, de sair com os amigos, por um trabalho que não me traz satisfação alguma. Só por causa de um trabalho.

Eu só quero voltar pra casa. Só isso.

5 comentários:

Carolina disse...

eu ainda te amo rsrsrs
vai dar tudo certo! força na peruca e aos planos de comemoração do seu aniversário!
bjusmeliga!

Carol
ps (fazendo maquete DE NOVO)

(¸.·´ (¸.·´ * Vanessa*(¸.·´ (¸.·´ MISS LITTLE FRECKLED disse...

Na minha vida vc tem lugar cativo! Não se envergonhe! Vc é uma vencedora, por ter assumido esse desafio enorme.
Te amo!
Chega logo.

Marcus Vinicius Bonfim disse...

Vamos Vivis, força! estamos de acompanhando, mesmo à distância, a torcida e o carinho continuam os mesmos!

Beijos, Marcus Vinicius.

Deisezinha disse...

Pode ter certeza que pelo menos a Meleca vai te "sorrir latindo" em frente ao portão quando chegar (kkkkkk)
Você é uma grande boba mesmo.
Estamos te esperando sempre.
E o seu aniversário de vinte e todos já está marcado dia 11 de setembro no Roda-Viva :D

Anônimo disse...

Oi, li o que posto na internet..e bem..eu estou louca para ir morar em Santiago agora em Dezembro, porém necessito de um trabalho ai,para que eu possa me manter...Por favor, teria como vc entrar em contado comigo , vou deixar um e-mail para que vc me contacte, e me indique um trabalho ai em Santiago, eu estou topando qualquer coisa..pois ainda não sou formada, mas aqui em Sampa trablho em uma empresa de engenharia eletrica, na parte administrativa..

e-mail: diazfernando@yahoo.cl
meu nome é Thalita, e pode enviar e-mail pra mim nesse endereço..

muito obrigada..e aguardo uma resposta.

beijos.