quinta-feira, 8 de janeiro de 2009


Estava eu aqui pensando que a falta de amor até que foi um bom negócio para mim. Veja bem, se eu estivesse namorando, ou tendo um caso – que é mais a minha cara, cara de amante – dificilmente eu viria pra Santiago. Porque eu não sei gostar pouco. Eu só sei gostar de um homem se eu amar demais. Amar até doer. É isso ou não é nada. Por isso, todos os amores que eu tive sempre foram muito, sempre foram demais. Você aí que me lê, e que sabe que eu gostei de você, saiba então que eu te amei muito, mesmo te conhecendo há anos ou há três semanas.

Isto posto, a falta de amor que eu tanto reclamei na vida passada, foi um benefício para que eu mudasse de vida. Agora por exemplo, estaria na minha casa, talvez sem emprego, mas com a plena certeza de que o amor que tivesse me bastaria.



Um comentário:

Daniele Fátima disse...

Tem razão, Vivis... E agora que você tem uma nova vida, em breve pode ter um novo amor. :)